RESENHA: COMO SE CASAR COM UM MARQUÊS

08:00




Editora: Arqueiro
Autor: Julia Quinn
Série: Agentes da Coroa, livro 02
Páginas: 320
Estrelas: ⭐⭐⭐⭐

Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa. Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa. Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual. É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss.
Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada. Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.

É um fato inegável que Julia Quinn é a rainha dos romances de época. Sempre misturando personagens divertidos a enredos emocionantes com grandes pitadas de humor, ela cria a receita exata que conquista o leitor imediatamente, o fazendo devorar as páginas de seus livros.


Como se casar com um marquês é o segundo volume da duologia Agentes da Coroa, e nele nós vamos conhecer mais a fundo o marquês de Riverdale, ou melhor dizendo, James Siddons – que já nos foi previamente apresentado em “Como agarrar uma herdeira” – e seu interesse romântico, Elizabeth Hotchkiss, que precisa desesperadamente de um marido, podre de rico se possível.



Se antes James nos conquistou numa breve aparição, em seu próprio livro ele é absolutamente encantador. Charmoso, leal à família e protetor daqueles que ama, o marquês aceita o pedido de ajuda de sua tia - a incrível Lady Danbury - para desvendar quem a está chantageando. Sob o disfarce de administrador, suas suspeitas recaem sobre a dama de companhia de sua tia, porém, quanto mais tempo passa ao seu lado, mais ele percebe que seu comportamento nervoso se dá por motivos bem diferentes e decide por ajudá-la em sua empreitada.

Elizabeth é o tipo de protagonista que dá gosto de ler. Forte, determinada e espirituosa ela faz das tripas, coração tentando cuidar dos três irmãos mais novos, mas com a situação se tornando cada vez mais exasperante, sua única saída é se casar com um homem rico e por isso, ela decide seguir as regras do livro que encontra na biblioteca de lady Danbury, que vai levá-la a situações engraçadíssimas junto de James.


O ponto central do livro é definitivamente o humor. O jeito desastrado de Elizabeth com o jeito certinho de James nos rendem momentos hilários, onde não há outra saída a não ser morrer de rir com as situações que eles se metem; e unindo-se a isso ainda temos as interações dos protagonistas com a família dela e também com Lady Danbury, que continua com sua língua afiadíssima e sarcástica. Já sou fã de carteirinha dessa personagem desde que ela apareceu pela primeira vez na outra série da autora, Os Bridgertons, causando demais com seus comentários ferinos, e sua presença nesse livro junto de seu companheiro felino, Malcolm (oficialmente, o melhor gato que já existiu na literatura) abrilhantaram ainda mais a narrativa, e definitivamente, roubaram a cena diversas vezes.



Todavia, assim como no primeiro livro, achei o desenrolar romântico entre os personagens muito rápido, quase como um instalove, o que me fez desacreditar um pouco nos protagonistas, mas que acabou sendo compensado nas interações diárias e provocações que faziam um com o outro. O plot também se desenvolveu de maneira lenta, com as problemáticas sendo abordadas somente nas últimas 50 páginas, o que acabou não sendo de grande incômodo devido aos diálogos inteligentes e tiradas sarcásticas dos personagens (uns mais que outros, claro).

Como se casar com um marquês encerra com maestria a duologia Agentes da Coroa, tornando-se meu favorito entre os dois volumes, mas não consegue apagar o brilho e a paixão que tenho pela outra série da autora, Os Bridgertons. Com muito humor e irreverência, Julia Quinn nos traz novamente personagens marcantes com histórias bem construídas, nos mostrando assim por que é considerada “O” nome no gênero de romances de época.

Comente aqui uma autora da qual você é fã de carteirinha de seus livros.


Até a próxima, 

You Might Also Like

0 comentários