RESENHA: CORTE DE NÉVOA E FÚRIA

08:00


Editora: Galera Record
Autor: Sarah J. Maas
Série: Corte de espinhos e rosas, livro 02
Páginas: 658
Estrelas: ⭐⭐⭐⭐⭐
GOODREADS | SKOOB | AMAZON 


O aguardado segundo volume da saga iniciada em "Corte de espinhos e rosas", da mesma autora da série "Trono de vidro". Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.



Essa resenha não contém spoilers do livro anterior, Corte de espinhos e rosas.


Se eu fosse resumir esse livro em uma palavra seria: AUTODESCOBRIMENTO. O foco principal da história é sobre a jornada da Feyre em tentar compreender melhor seu lugar no mundo e a pessoa que ela se tornou depois de Sob a Montanha. Nenhuma parte é desnecessária ou "enche linguiça", apesar do começo ser um pouco lento, condiz com a hesitação da personagem em saber o que ela realmente quer e precisa. E a evolução pela qual a Feyre passou é algo digno de nota! (You go, girl).


Sinto-me orgulhosa dela, por como enfrentou todos os desafios que apareceram em seu caminho, apesar de no início ter me irritado com toda a sua vibe negativa, mas que depois entendi que era uma fase pela qual ela tinha de passar, a fim de readquirir a confiança e força de vontade que possuía. Os traumas sofridos anteriormente não foram facilmente superados e/ou esquecidos, somente com o apoio das pessoas certas é que ela finalmente começa o processo de cura.

Por isso, até, é que eu fiquei tão irritada com o Tamlin! Eu não posso, nem consigo perdoar as decisões que ele tomou nesse livro, mas entendo, de alguma forma, seu lado, afinal tudo que ele fez é por amor a Feyre. É importante lembrar que assim como a Feyre, ele também sofreu nas mãos de Amarantha e suas feridas emocionais são tão profundas quanto as delas, mas repito que isso não é desculpa para seu comportamento machista e condescendente.

E dando espaço agora para mencionar outro macho alfa (o melhor de todos), que arrebatou meu coração, vamos falar de Rhysand. MEU BOM GSUIS, que homem, que feérico, que crush literário absolutamente perfeito! Sim ele é arrogante, charmoso e extremamente provocador, mas também é gentil, carinhoso, altruísta e atormentado pelas dúvidas e o peso que carrega como Grão-Senhor da Corte Noturna. Conhecemos a máscara que ele usa quando lida com os outros, mas aqui seu personagem nos oferece tanto para explorar e a história de seu passado é tão tocante que me deixou uma bagunça de emoções.

Quanto ao romance, é com alívio que eu digo que não há triângulo amoroso nenhum, e sim um relacionamento saudável, com respeito mútuo que se desenvolve com o tempo e te deixa com um sorriso bobo e um sentimento quente no coração ao ver esses dois personagens interagindo um com o outro.


Tivemos alguns novos personagens nos sendo apresentados, mas nenhum chamou tanto a atenção quanto o Círculo Interno do Rhys. Squad goals!!! Azriel, Cassian, Amren e Morrigan abrilhantam ainda mais a narrativa e nos mostram uma dinâmica familar tão gostosa, nos oferecendo mais uma faceta de Rhysand que não conhecíamos. Juntos eles são um grupo com personalidades tão distintas e de gênio forte, cada um com um passado mais conturbado que o outro (sério, ô povinho sofredor).

Quanto à narrativa, aqui o território é expandido de maneira que podemos apreciar e conhecer outras cortes, mas principalmente conhecer a fundo a Corte Noturna e tudo que ela tinha a oferecer. Tão diferente dos rumores que rondam a tão temida corte, aqui vemos que a noite não só proporciona um lugar terrível e amedrontador, mas também um lugar de luz, felicidade e cheio de vida, como vemos na Corte dos Sonhos.

E, por fim, ficamos de frente ao grande inimigo que nosso grupo precisa enfrentar, mas eu sinto que muita água ainda vai rolar e, em meio a tantas intrigas, mentiras e traições eu estou mais do que desesperada em ler o terceiro volume, ainda mais depois das últimas 50 páginas e desse final arrasador de vidas que me deixou no chão. 

Então se você chegou até essa parte na resenha, não se deixe levar por qualquer impressão que o primeiro livro tenha te passado e continue a série investindo nesse segundo volume, vai valer cada centavo do seu dinheiro.

Até a próxima,

You Might Also Like

0 comentários