RESENHA: SIMPLESMENTE O PARAÍSO

09:27


Editora: Arqueiro
Autor: Julia Quinn
Série: Smythe-Smith, livro 01
Páginas: 272
Estrelas: ⭐⭐⭐⭐

Honoria Smythe-Smith é parte do famoso quarteto musical Smythe-Smith, embora não se engane e saiba que o dito quarteto carece sequer do menor sentido musical e tem esperanças postas que esta seja a última vez que se submeta a semelhante humilhação. Esta será sua temporada e com um pouco de sorte conseguirá um marido.Durante um jantar, põe seus olhos em Gregory Bridgerton, um dos mais jovens da família Bridgerton. Sabe que não está apaixonada, mas ele parece uma opção mais que válida.Marcus Holroyd é o melhor amigo do irmão de Honoria, Daniel, que vive exilado na Italia. Ele prometeu olhar por ela e leva suas responsabilidades muito seriamente. Odeia Londres e durante toda a temporada, permaneceu vigilante e intermediou quando acreditava que o pretendente não era o adequado.Honoria e Marcus compartilham uma amizade, pouco atípica, fruto dos anos que se conhecem e que o torna parte da família.Entretanto, um desafortunado acidente faz que ambos repensem sua relação e encontrem a maneira de confrontar o que surge entre eles, se tiverem coragem suficiente. 

Posso passar anos sem ler um livro da Julia Quinn, mas toda vez que eu vou começar um novo, eu redescubro, nas primeiras linhas, o porquê de amar tantos suas histórias e seus personagens.

"Simplesmente o paraíso" inicia a história de um grupo de jovens mulheres solteiras da família Smythe-Smith, sejam primas ou irmãs, que tocam no tradicional quarteto musical onde todos anos elas realizam uma performance para os convidados. Todavia, se você já leu o livro "Os segredos de Colin Brigderton", da mesma autora, vai saber exatamente que quarteto é esse.


Nesse primeiro livro, dessa nova série da Julia Quinn, que a editora Arqueiro trouxe ao Brasil, conhecermos a Honoria Smythe-Smith, uma jovem que não vê a hora de casar, mas ao mesmo tempo quer alguém por quem possa se apaixonar com o tempo. Ela também é fiel ao quarteto mesmo sabendo que elas são não boas em suas performances, contudo sua lealdade a família sempre fala mais alto. E tem o Marcus, o mocinho da história, que teve uma infância distante de sua família, porém encontrou nos Smythe-Smith um lugar.

A autora conseguiu construir um romance de modo que não foi previsível como eles terminaram (porque todo mundo já começa as história da Julia Quinn sabendo que haverá um final feliz). Os personagens são desenvolvidos e são moldados para serem o encaixe perfeito um para outro sem que percam suas próprias identidades.


Outro ponto que me fez adorar o livro foram os personagens secundários e a introdução das protagonistas dos próximos livros dessa série. Assim como a forma como a mãe da Honoria, Lady Smythe-Smith, teve um papel na história que destacou suas forças e como isso influenciou na criação da filha, apesar dos apesares.

O único fato que me incomodou foi o final apressado. Talvez com mais uns 20 páginas, a resolução de tudo não tivesse passado essa sensação, todavia, ainda assim, a forma como o desfecho do casal acontece de fato foi encantadora e me fez deixar escapar umas lágrimas.

Fã da Julia Quinn? Já leu os livros dela? Se não leu, corre para ler! Vale super. Juro. 

Beijão, 

You Might Also Like

0 comentários