RESENHA: UM PERFEITO CAVALHEIRO, de Julia Quinn

08:00

Editora: Arqueiro
Autora: Julia Quinn
Série: Bridgertons, livro 3
Paginas: 304
Estrelas: 4/5
GOODREADS | SKOOB | AMAZON | SUBMARINO


Um Perfeito Cavalheiro - Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.


Todo esse negocio de releitura da Cinderela me deixou um pouco pé atrás com esse terceiro volume da séries Os Bridgertons. Eu não sabia o que esperar, mas estava tudo parecendo clichê demais para o meu gosto, mas é Julia Quinn, então peguei para ler segundos após eu terminar O visconde que me amava.

O livro conta a historia do Benedict, o segundo irmão Bridgerton, que ainda sofre pressão da mãe para se casar. E em uma de muitas festas que sua mãe dá, ele conhece Sophie – que vai a festa escondida da madrasta e assim como a Cinderela, precisa retornar para casa a meia-noite. 
"Você me faz sorrir [...] Quando não me faz gritar, você me faz sorrir." 
Um dos pontos que mais me agradou nessa releitura foi o fato do Benedict não ter encontrado a garota misteriosa logo de cara, mas sim alguns anos depois, porem eu achei a passagem se tempo longa demais. 

A forma do reencontro é interessante e me agradou, e serviu bastante para o recomeço do casal, já que ele não se lembrava dela – até porque quando se conheçam, era um baile de mascaras, então já pode imaginar.


Sophie é uma serviçal, e por causa da diferença social, um casamento, naquela época seria inviável, mesmo que a atração ali seja impossível de se negar. Contudo, em algumas ocasiões, eu esquecia que a historia se passa em 1817, e ficava com raiva das atitudes do Benedict em relação a Sophie justamente por causa dessa impossibilidade social. A relação que os dois criam acaba sendo irritante, ao mesmo tempo que é fofo. Não é o meu casal favorito, mas ainda sim gosto deles. 

A reviravolta do livro foi bastante diferente dos anteriores – o que eu gostei bastante. E a Violet, mãe do Bennedict teve um papel super importante e acabou se tornando um das minhas personagens favoritas da série. Assim como Eloise que fez algumas aparições e me deixou bastante curiosa por seu livro já que a personagem pareceu bastante interessante.

Eu vou reclamar da mesma coisa que reclamei dos livros anterior: senti falta da presença dos casais dos outros livros, e nesse volume não teve nenhum cena dos casais juntos e eu sempre gosto de sabe de perto como vão os outros.

Um dos pontos altos do livro foi a Lady Wistledown. Um parte do livro se passa longe da badala Londres onde as fofocas acontecem, e os trechos da Lady Wistledown no inícios desses capítulos nos deixou a par de outros eventos, só aumentando a minha curiosidade sobre quem é essa Lady. Minhas teorias são infinitas. E prometo compartilhar com vocês quando eu fizer um vídeo falando sobre os quatro primeiros livros da série. 

Também é super fã da Julia Quinn e mal pode esperar pelos próximos e para conhece-lá na Bienal? Conta para gente nos comentários :)

Beijinhos ;*

You Might Also Like

0 comentários