[REVIEW] Loving Mr. Daniels, de Brittany C, Cherry | @jessdag_

14:05

Editora: Self Published
Autor: Brittany C. Cherry
Paginas: 310
Estrelas: 4/5

A quem possa interessar,
Foi fácil dizer que éramos proibidos e difícil nos chamar de almas gêmas. Ainda que eu acreditasse que nós éramos os ambos. Almas gêmas proibidas.
Quando eu cheguei em Edgewood, Wisconsin, não planejava encontrá-lo. Eu não planejava topar com o bar do Joe e ter minhas emoções atiçadas pela musica de Daniel. Eu não tinha a menor idéia de que a voz dele poderia fazer meus machucados esquecerem de doer. Eu não tinha ideia que a minha felicidade ia lembrar de existir.
Quando eu comecei o último ano na minha nova ecola, eu não estava preparada pra chamá-lo de Sr. Daniels, mas às vezes a vida acontece no tempo errado pelos motivos certos.
Nosso romance não era apenas físico.
Era sobre família. Sobre nossa perda. Sobre estar vivo. Era bobo. Era doloroso. Era sobre luto. Sobre risadas.
Era nosso.
E apenas por todas essas razões, eu nunca me desculparei por amar o Sr. Daniels.
- Ashlyn Jennings.

Tenho uma mania irritante de começar o ano relendo livros que gosto muito… Aí pensei, por que não fazer uma review linda pra esse livro lindo? And here we go:

O bom de reler livros é que você se depara com nuances que não tinha visto antes; Eu posso dizer que isso é ruim também, porque sempre fico com a sensação de “sério mesmo?”. Com Loving Mr. Daniels não podia ser diferente.

Cherry (amo todos os livros dessa mulher, benza deus) criou um universo bem tocante. O livro todo roda em torno da morte - a morte da irmã gêmea da Ashlyn, a morte dos pais do Daniel - mortes, mortes, mortes. Acho que já deveria estar acostumada com isso nesse universo de YA, mas eu não estava.

Em um ponto de vista, esse livro conta a história da Ashlyn, que acabou de perder a irmã gêmea, que acabou de “perder” a mãe, que a mandou para morar com o pai - que foi ausente a vida toda. O pai agora morava com outra família, com uma mulher crentelha e dois filhos que o chamam de pai.

Num ponto de vista mais esporádico, vemos a história de Daniel Daniels (e a explicação pro nome é fantástica): irmão drogado, mãe assassinada (que morreu nos braços do Daniel), pai que morreu um ano depois…

Muito drama. Alguns clichês.

O que me fez amar esse livro não foi o plot em si, que é bem fraco. Sem querer dar spoiler (maior que a do título, né), a história principal tem uma mistura de Aria e Ezra de Pretty Little Liars e Will e Lake de Slammed (deu pra sacar?). Eu amei o livro pelo nível de maturidade dos personagens, e - acima de tudo - pelos personagens. Ashlyn e Daniel são incríveis, mas nada bate Ryan, que é um dos personagens coadjuvantes mais incríveis dessa livrosfera.

Da primeira vez que eu li, amei tudo mesmo, agora na segunda já vi coisas que me incomodaram, mas que não fazer o livro ser igualmente incrível. Acho que a delícia de ler esse livro é que a gente torce pelos dois até o fim. E o epílogo é uma coisa linda - é aquele epílogo que a gente espera muito que venha, mas que obviamente nunca vem. A narrativa da autora te prende e te cativa, apesar da carga emocional, é um livro bem simples de se ler.

Mas eu continuo recomendando esse livro, mas só se você estiver preparado pra soltar umas lagriminhas pelo caminho. Caso contrário, nevermind.

Agora é só torcer pra alguma editora trazer esse lindo pro Brasil e esse pode ser o caso da Galera Record que em setembro do ano passado, se não me engano, divulgou falando que tinha comprado os direitos do livro e o mesmo com a autora. Agora é torcer para que isso aconteça logo.

P.s - Uma coisa que eu amei foram as músicas da Romeo's Quest, a banda do Daniel. Amei tanto que queria que elas fossem reais. Uma banda inspirada em Shakespeare é mais do qu eu poderia pedir <3

Se você já leu esse livro (ou algum outro da Cherry, que é DEMAIS), conta pra gente aqui nos comentários ou no facebook ;)



You Might Also Like

0 comentários