RESENHA: FILHA DA ILUSÃO

18:30


Editora: Valentina

Autor: Teri Brown
Série: Herdeiros da Magia, livro 1
Paginas: 288

Estrelas: ⭐⭐⭐


lusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920. Como filha ilegítima de Harry Houdini - ou pelo menos, é o que Marguerite alega - os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truque mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro.
Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar?
Teri Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York de Era do Jazz - e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.


Comprei o livro às escuras  ̶  nunca tinha ouvido falar e nem ninguém que eu conhecia  ̶  mas me encantei pela capa e comprei. Não foi a minha melhor leitura do mês, contudo não deixou de ser uma boa e interessante história. O ilusionismo apresentado no livro é, sem dúvidas, o ponto alto, assim como a construção dos personagens pelo olhar da protagonista, Anna Van Housen.

Anna é uma menina de 16 anos que se mudou para NYC com a mãe, uma médium famosa, e elas trabalham juntas fazendo shows e sessões, das quais Anna não gosta. Ela descreve a mãe como uma pessoa que pensa em si e na carreira em primeiro lugar, e que quer ver a filha fora do show. E apesar de só ter 16 anos, a narração de Anna não demostra isso, nem suas ações, mas isso faz parte da personagem e pela maneira como ela foi criada.

Desconfiada e determinada é a melhor maneira de descrevê-la. Ela desconfia de todos, e a Filha da Ilusão é um livro recheado de personagens para se desconfiar, começando por Jacques, o empresário da mãe, que Anna acredita só estar interessado no dinheiro. Então temos Cole, o sobrinho do vizinho de baixo, em quem ela nunca sabe ao certo se pode ou não confiar, e Owen, o parente de Jacques que mostra interesse por Anna, mas que ao longo do livro ela não sabe bem o que achar dele. E os dois brigam, de certa forma, pelo coração da mocinha.

Temos também o sr. Darby é o vizinho que a ajuda nas suas artimanhas, e Cinthya, uma cliente da sua mãe, passa a ser a sua melhor amiga que lhe apresenta ao Dr. Bennet que é um grande ponto de interrogação e um tanto vigarista.


A plot do livro gira em torno das visões que Anna passa a ter sobre sua vida e onde isso vai acabar. Coisas estranhas passam a acontecer e ela fica cada vez mais confusa e sem saber como tudo vai terminar, assim como as manifestações de seus poderes que começam a acontecer depois da sua chegada à Nova York.

Anna descobre a verdade sobre Cole e a Sociedade de Pesquisas Paranormais, e qual a sua ligação com tudo isso; descobre também quais os interesses do Dr. Bennet, um palestrante da igreja frequentada por Cinthya que demonstra um interesse nela e em suas habilidades.

Com o final do livro, tudo o que Anna pensava sobre uma pessoa muda completamente quando ela descobre a verdade sobre todos que a rodeiam e seus interesses reais. É uma virada espetacular que eu não esperava que fosse acontecer.  Não daquela maneira. E a forma como a autora fez a junção dos fatos com as visões da Anna foi inesperado.

Um ponto super positivo do livro foram as descrições dos truques feitos por Anna, que me fizeram visualizar exatamente como tudo aquilo poderia estar acontecendo, da mesma forma que fiz quando eram narradas as sessões particulares que a sua mãe fazia. Entretanto, eu esperava mais descrições sobre a época no qual o livro se passa, década de 1920. Eu esperava mais sobre as músicas da época, os livros e sobre como era a cidade de Nova York. Foram poucas as descrições sobre essa parte, o que deixou um pouco a desejar.


SOBRE A SÉRIE:



O livro faz parte de uma série que conta com mais dois livros: um curtinho, o Born of Corruption, que conta uma história sobre Cinthya e Anna, e o Born of Deception, que se passa em Londres e conta sobre as consequências do primeiro livro.  Ambos ainda sem previsão de lançamento no Brasil.

E ai? Já leram Filha da Ilusão ou ficaram interessados? Conta para a gente. =)

Beijão, 

You Might Also Like

0 comentários